quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Colhendo os frutos do Projeto BomDia! (e também a Ayurveda)

Imagem daqui: http://www.saladeayurveda.com/2009/03/dinacharya.html


Comecei o Projeto BomDia! (que tinha o objetivo de me fazer acordar cedo diariamente) por esses motivos, mas como falei nesse post acabei achando melhor interrompê-lo.
Pois bem, mesmo tentando não encarar como falha o gosto amargo de não conseguir tinha ficado. Tentei afasta-lo e não me culpar. Consegui respeitar meus limites frente as circunstancias.
Pois bem, eis que alguns dias depois disso tudo percebi que o Projeto realmente funcionou!
Nesses últimos dias tenho acordado entre 6 e 7 horas sem despertador ou esforço. O esforço é sempre para levantar... rsrs
Mas acordo bem disposta, sem a sensação que preciso dormir mais (como aconteceu nos dias que me fizeram rever o projeto).
Paralelo a isso, estou estudando sobre Ayurveda e perdidamente apaixonada por essa medicina. Encontrado muitas das minhas reflexões, dos meus desequilibrios e intuições nos estudos.
Encontrei sobre a importância da boa digestão de tudo que absorvemos e de como as toxinas nos fazem mal. Como tinha refletido nesse e nesse post.
Sobre a importância do auto cuidado e do carinho conosco que me lembrou esse post.
Até sobre a importância da rotina e da regularidade que me fizeram iniciar o Projeto BomDia!.
Continuo meu caminho, com um passo de cada vez e a certeza que a vida flui com leveza quando permitimos.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Equilíbrio e movimento

Eu sou a louca que fica em busca do sentido da vida. Tem dias que me sinto um ponto solto em uma costura mal feita e simplesmente não entendo o porque viver.
Mas hoje, durante uma meditação, encontrei uma resposta que me acalentou.
A busca principal da vida é o equilíbrio. E vamos encontra-lo voltimeia e perde-lo logo em seguida. Mas temos de estar atentos em como o alcançamos e em como perdemos. É natural que o percamos, o segredo e saber o que precisamos para recupera-lo.
Bem na verdade o equilíbrio é mesmo movimento, não é algo imutável. Tente equilibrar algo na ponta dos dedos e vai entender do que estou falando: é preciso ajustar o movimento conforme o peso do objeto, o vento, nossa própria respiração...

E é nisso que entra o auto conhecimento, a observação...saber quando precisamos de menos isso e mais aquilo. Dos ajustes que precisam ser feitos para manter tudo em ordem.

Eu preciso de menos informação e mais espaços vazios, silêncios. E você?

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Digerindo tudo!

Refletindo sobre minha desintoxicação de informação (nesse post) encontrei algo que vai de encontro com o que acredito, mas ainda não tinha percebido: preciso de uma desintoxicação geral. Mais do que isso, preciso aprender a conter meus excessos.

Informação e alimentação principalmente. Estou cheia demais de tudo. Alimentando meu corpo por um ansiedade que está se transformando em compulsão. Minha mente soterrada de informação porque tenho medo de onde meus pensamentos podem me levar.

Estômago cheio. Cabeça cheia. E eu com a sensação que não é suficiente. Sinto isso tão errado.

Preciso mesmo esvaziar. Escrever mais que ler.

Digerir tudo que está aqui antes de me alimentar de novo.

E então quando estiver vazia. Selecionar melhor os alimentos do estômago e da mente. Aproveitar melhor, degustar melhor e aprender a me satisfazer (ou reconhecer a satisfação).

Pausa nos blogs e na cozinha.

Vamos devagar, Roberta. 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Fim de Agosto e Projeto BomDia!

Agosto terminou e com ele os 30 dias em que eu me propus a acordar as 6 horas.

Como já falei, acabei parando no meio do caminho. Algumas noites porque fui dormir tarde, outras porque acordei de madrugada (com meu filho de 23 meses). Alguns dias eu simplesmente preferi ficar na cama (esses eu considero simplesmente falha mesmo).

Os dois principais motivos que me fizeram desistir foram as acordadas noturnas do meu filho e que o tempo que tenho com meu marido ser tarde da noite. Não nos vemos todos os dias, só aos finais de semana, é um tempo precioso para mim.

Então, posso dizer que falhei e desisti do que me propus. Já senti vergonha disso, mas a verdade é que estou aprendendo a conhecer meus limites e esse aprendizado me faz feliz.

Prefiro assumir a falha e a desistência a me forçar a manter um compromisso que excede os meus limites.

Foi ignorar meus limites que me fez ficar tão cansada (já nem tanto! Ufa!). Aprender a vê-los, assumi-los e respeita-los me faz feliz.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Desintoxicando a mente

Eu tenho paixão por blogs. Muito mais que escrever, gosto de ler. Gosto de saber do ponto de vista e das reflexões alheias. De descobrir as ferramentas e as formas que cada um usa. E confesso, de saber da vida alheia também.

Mas percebi que a leitura dos meus feeds estava tomando um tempo significativo do meu dia. Mais até, estava ficando chateada quando não podia ler um post novo. Estava conferindo no celular se havia atualização constantemente.
Lia até o que nem me era interessante, vai que no meio do texto tem aquela frase que ilumina? E se eu estiver perdendo algo só porque o título não me chamou a atenção?

Pensando dessa forma ia sobrecarregando meu cérebro de informações que nem me eram relevantes. Me "alimentando" muito além da minha "fome" intoxiquei minha mente que não dava conta de digerir tantas ideias.

E o que era para ser prazer virou incômodo. O que era relaxamento se tornou obssessão.

Desde quarta parei de ver os feeds obsessivamente. Decidir isso não foi fácil, era uma ideia que vinha há algum tempo e confesso novamente, tinha medo. Medo do vazio. Mas depois de decidida e de passado os primeiros impulsos para ver as atualizações: Uau! Que liberdade. Tem espaço na minha mente para os meus próprios pensamentos.

Hoje voltei a ler, acabei me empolgando de novo e lendo demais. É, a sensação é ruim. Uma indigestão de informação.

Quero agora encontrar um meio termo. Definir uma forma tranquila de ler os blogs, aprender a ignorar os que não me interessam.

E continuo tentando desintoxicar... a vida!