terça-feira, 1 de outubro de 2013

A terapia do choro

Nos últimos dias tive de encarar o choro de diversas formas.

No domingo eu chorei  minhas dores. Meu peito foi invadido pelo medo e me sentia perdida. Meus pensamentos ficaram absurdamente negativos. Não conseguia sentir gratidão ou enxergar as coisas boas (e isso foi consciente, tentei mentalizar coisas boas!). Enquanto despejava toda tristeza no ouvido do meu marido (obrigada, amor! rsrs) a vontade de chorar veio tímida e permiti o choro.

Chorei lágrimas. Chorei lamentos. Falei tudo de ruim que passou na minha cabeça. E quando não sobrou mais nada, nem lágrima nem lamento, me senti leve! Foi como se o desabafo em lágrimas e palavras colocasse tudo para fora de mim. Como esvaziar um copo cheio e dar espaço para esperança novamente.

Isso me fez pensar no porquê de hoje em dia ser tão difícil chorar.
Por que seguramos e temos vergonha das lágrimas?

Nos incomodamos com o choro das crianças, dos bebês. Não gostamos de ver adultos chorando. Tentamos agradar, distrair, estancar as lágrimas! Mas elas são terapêuticas, ao cair fazem uma faxina e nos fazemos sentir melhor.

Depois encarei mais uma situação com choro e percebi o quanto tentei evitar o choro do meu filho e como isso fez mal para nós. (falei melhor sobre isso aqui)

Acho que preciso reaprender a chorar, em alguma parte do meu caminho me ensinaram que chorar é ruim e vergonhoso. Que incomoda! Assim como devem ter ensinado para você. Mas podemos mudar isso. Podemos aceitar e receber o choro, agradecer sua presença e sua faxina emocional. Ensinar nossas crianças que chorar é preciso. Não nos envergonharmos ou irritarmos com o choro dos pequenos ou dos adultos.

Agora vejo o choro como uma ponte entre a desesperança e a esperança. Entre a vontade de desistir e a de tentar de novo. Entre e a insegurança e a confiança.

E você? Aceita seu choro? Aceita o choro alheio ou fica desesperado esperando que acabe logo?

Dê boas vindas as lágrimas!

4 comentários:

  1. Eu sou chorona... guardei o choro durante muitos anos, mas agora que resgatei, sei o quanto é libertador. Mas confesso, ainda sou daquelas que fica incomodada com o choro alheio... me dá uma agonia, sabe? Sempre espero que acabe logo. Adorei a reflexão. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me agoniza também, principalmente pq tem um serzinho de 2 anos aqui que chora muito! Sem conseguir se expressar completamente com as palavras e um turbilhão no peito, ele chora tudo! Tenho tentando observar meus sentimentos, pq o choro me incomoda para depois estar presente no choro dele. (Ana Thomaz que ensinou hoho). E olha, perceber nossos nós nos comportamentos alheios é muito bacana! Tem sido uma experiência ótima...

      Excluir
  2. Olá Rô, pelo bloglovin quando você passou a seguir meu blog, eu cheguei até aqui. Já li um pouco do seu blog sobre o Benjamin. E agora encontrei este aqui.
    Profundo seu post. Neste último final de semana também chorei muito e acho que é transformador mesmo. Chorei por um problema de saúde de uma filha, eu estava já desistindo e no outro dia, acordei de alma leve e vejo que preciso reagir e ajudá-la com as dificuldades.
    obrigada pela reflexão e beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Andreia! Obrigada você pela visita, te encontrei pelo blog AcreditarSimples e gostei do seu blog ;]

      Tomara que o problema de saúde da sua filha se solucione logo! E que vocês cresçam muito com a experiência e fortaleçam os laços. Beijos e obrigada pela visita

      Excluir