sexta-feira, 6 de julho de 2012

Como você se trata?


Já parou para pensar em como tem tratado a si mesma? E não estou falando de produtos, receitas, mas sim da forma que você realiza ações cotidianas de cuidados.
Por exemplo, ao escovar os cabelos toma cuidado para não ferir os fios, escovando com paciência e tranquilidade? Ou é uma escovada forte e efusiva? Ao se banhar, massageia a pele com a esponja ou esfrega? Durante a escovação dos dentes, passa a escova com força e até machuca a gengiva, ou faz movimentos delicados?
Pare por uns minutos e tente se lembrar de como executa essas ações diariamente. Pensou? E já pensou no que isso pode significar?
Essas ações diárias e quase automáticas são um reflexo de como nos tratamos como um todo. Se somos muitos bruscos e sem cuidado, provavelmente também teremos uma auto crítica implacável. Seremos muito bons em apontar nossos defeitos e em ignorar nossas qualidades. Seremos ótimos em nos culpar por tudo e passar o dias nos desculpando com os outros. Sem contar que trataremos assim nossas roupas, nossas coisas, nossa casa e até as outras pessoas.
Basicamente, falta amor. Amor próprio. Ou quem sabe sobre raiva de si mesmo. E se falta isso dentro, é difícil encontrar.
Vale uma reflexão interna sobre os porquês, o que incomôda? Onde falta amor e onde sobra raiva?
A parte mais interessante desse reflexo é que se mudarmos qualquer uma das imagens a outra, aos poucos, também muda. Que tal fazer o teste? Preste mais atenção a esses cuidados simples e diários, tenha mais delicadeza e carinho por você mesmo. Escove os dentes com calma, pentei os cabelos com suavidade, massageie a pele no banho. Repare nesses movimentos, faça com amor. E veja a mágica acontecendo.

3 comentários:

  1. Muito bom,Roberta.Obrigada por este primor de texto com tanta informação pertinente. Saúde! Fatima.

    ResponderExcluir
  2. Cheguei nesse blog graças a esse texto.
    Lindo. Fiquei refletindo... vou me tratar com mais amor. Por mim! :)

    ResponderExcluir